Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2015
FSF debate sobre a violência nos campos de futebol

FSF.jpgA Federação Santomense de Futebol (FSF) realiza palestra sobre a Violência nos campos de futebol com objectivo de, segundo o 1º vice-presidente da federação, Adalberto Catambe, analisar a situação actual de segurança nos campos desportivos do país.

Na plateia estiveram presentes dirigentes dos clubes desportivos, representantes da Polícia Nacional e dos árbitros, bem como outras entidades ligadas ao desporto. Todos em volta do único tema: violência nos campos de futebol.

Os novos casos de violência que se tem assistido nas partidas de desportivas a nível nacional e internacional, na visão do 1º Vice-presidente da Federação Santomense de Futebol, Adalberto Catambra, tem prejudicado o espírito de fairplay que se exige nos jogos.Por isso, a actual direcção (a nova direcção foi eleita no dia 25 de Janeiro de 2015 e empossado a 05 de fevereiro), “entende que para que o futebol seja um espaço de felicidade da sociedade e haja um desenvolvimento no futebol santomense, é necessário que se consiga garantir segurança nos estádios”, acrescente Aldaberto.

Catambe acrescenta que a garantia dessa segurança não é só das forças de segurança, mas de todos, por isso, esta palestra tem um carácter formativa. “Visamos formar os dirigentes desportivos, os delegados dos jogos e os árbitros para que estejam em condições de melhor servir o nosso futebol”.

A falta de uma legislação específica para a violência no desporto ainda é um entrave em STP, uma vez que essas violências são enquadradas legalmente como um caso de agressão física comum. De forma, também, a ultrapassar isso, a nova direcção procurará, junto as entidades competentes, criar legislações específicas para a matéria desportiva.

Durante a palestra que decorreu no palácio dos congressos, estiveram em debates temas como o Papel e atribuições das forças de segurança na realização do jogo; a função da arbitragem no futebol e a educação e ética no futebol.

O vice-comandante da Polícia Nacional, Kiakizike do Nascimento, foi quem falou do papel e atribuições das forças de segurança durante o jogo. Segundo o mesmo,a violência nos campos tem várias causas, sendo uma delas a actuação dos jogadores, comportamento dos treinadores nos recintos dos jogos e a própria insuficiência e má actuação dos agentes de segurança.

Kiakiziki apontou que a responsabilidade de garantia da segurança nos campos édos organizadores dos jogos. “A Polícia só deve estar presente quando ela é requisitada”, acrescenta.

De forma a superar a ausência ou insuficiência dos agentes da polícia que se tem registrados nas partidas desportivas, o vice-comandante da Polícia Nacional de São Tomé e Príncipe, recomenda que seja criada de assistentes de segurança dos recintos desportivos. Essa equipa de segurança estaria ligada aos clubes e “em caso de violência, seria a primeira a intervir e a Polícia estaria na retaguarda para dar apoio, caso necessário”.

Com esta palestra sobre a violência nos campos de futebol a Federação Santomense de Futebol dá abertura a época desportiva 2015/2016. Mas a data do arranque das partidas de futebol será decidida na assembleia-geral da federação a ser realizada brevemente.

Bakana (H2Lopes)
publicado por Bakana às 11:12
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2015
STE e SOCOGIESTA, uma novela que promete outros capítulos

S-S.jpgA SOCOGESTA reagiu, hoje, as declarações feitas pelo Secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores do Estado, Aurélio Silva (a esquerda), que acusou a empresa de, em parceria com a GIPA, não ter devidamente esclarecido o paradeiro dos fundos do processo da construção do porto das águas profundas.

Em conferência de imprensa, Filinto Costa Alegre (a direita) e António Aguiar, ambos dirigentes da SOCOGESTA, negam absolutamente todas as acusações feitas por Aurélio Silva. Segundo os mesmos, a SOCOGESTA “nunca teve qualquer ligação ao porto de águas profundas com GIPA ou com qualquer outro fundo e dinheiro público. Por isso aquilo que disse o Sr. Kaúki é mentira”.

Os mesmos continuam referindo que a SOCOGESTA sempre defendeu o diálogo como o meio mais adequado para resolver os problemas, mesmo tratando-se do Sr. Kaúki que "já esteve preso por ter tido relações sexuais com crianças. Assim, nós instamos ao Kaúki a rever as suas fontes e investigações e que faça uma declaração pública a confirmar que se esteve equivocado e estava enganado”.

Caso o Secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores do estado não reponha a verdade dos factos num prazo de duas semanas, a SOCOGESTA pondera levar o caso às instâncias judiciárias “para que a calúnia e a difamação seja punida”, conclui os dirigentes da empresa.

Bakana (H2Lopes)
publicado por Bakana às 12:07
link do post | comentar | favorito
STE pede ao Governo auditoria às empresas públicas

Aur.jpg

 

O sindicato dos Trabalhadores do Estado pede ao Governo a suspensão acompanhada de uma sindicância no Instituto Marítimo e Portuário santomense e esclarecimento do processo do Porto de Águas Profundas.

Em conferência de imprensa feita hoje, o secretário-geral do sindicato dos trabalhadores do Estado afirmou que no Instituto Marítimo e Portuário (IMAP) tem havido casos de corrupção e gestão danosa e por isso o Governo deve mandar fazer uma auditoria a sua gestão. "O sector de IMAP tem sido dirigido com a ausência de um controlo eficaz de Estado tais como depósito de cobrança fora de Banco Central, emprego por conveniência, salário atribuído sem critério" afirma Aurélio Silva que acrecenta afirmando que o IMAP tem se convertido em "propriedade alheio com fins elícitos".

Por estas e outras anomalias, Silva pede ao governo que mande fazer uma auditoria sobre a gestão desta empresa que, segundo diz, se for bem gerida poderá remeter alguma verba para o cofre do Estado. Algo que até então não tem acontecido, não obstante o IMAP ter arrecadado receitas diariamente através dos seus serviços prestados.

O secretário-geral dos trabalhadores do Estado, pede ao Governo que pesquise o autor dos supostos casos de emissão de cédulas marítimas falsas no IMAP. "Não entendemos porque o país carece de uma base de dados nacional sobre o registo de naviso com bandeira santomense, bem como informações, sobre o paradeiro de várias centenas de barcos que alvoram a nossa bandeira e matrícula nas águas internacionais sem controlo de registo de IMAP e da autoridade nacional", aponta Aurélio Silva.

Relativamente ao processo da construção do porto de águas profundas, Silva pede ao Governo que venha ao público esclarecer melhor esse processo que, segundo diz, há dossiês e verbas que ficaram por ser esclarecido os seus paradeiros. Segundo o mesmo, em 2006 foi concluído um estudo de viabilidade financeira da construção do porto de águas profundas financiado pelos EUA que aponta "uma expetativa de criação de cinco mil postos de emprego. Adiciona também como vantagem o facto de que mais de metade no Orçaemento Geral do Estado (OGE) anual viria beneficiar das receitas do porto e requalificação da cidade de Guadalupe (cidade do distrito onde seria construído o porto) e seus arredores".". 

Perante estes ganhos e por alegadamente não se ter dado as devidas explicações à população sobre o fecho desse processo, o sindicato solicita ao Governo o paradeiro do financiamento americano e todos outros financiamentos até então investidos no processo de porto de águas profundas. 

O sindicato dos trabalhadores da função pública, pede ao Governo maior controle da gestão das empresas públicas do país.

Bakana (H2Lopes)
publicado por Bakana às 07:29
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2015
Professores de ensino básico em São Tomé e Príncipe são capacitados em informática

Os directores e secretários das escolas do ensino básico e pré-escolar do país, que participaram na formação de informática na óptica do utilizador, receberam hoje os seus certificados. A formação está enquadra no programa do sistema integrado de gestão escolar do Ministério da Educação, Ciências e Cultura.

Durante as três semanas (duração da formação), os 400 participantes tiveram aulas de manuseamento do pacote Microsoft Office, nomeadamente, Word, Excel e navegação na plataforma web.

No acto da entrega dos certificados, o ministro tutelar da pasta da educação, Olinto Daio, apelou aos formados para não se acomodarem com esta formação básica, mas que procurassem aprofundar mais os conhecimentos adquiridos.

Segundo Olinto Daio, no quadro da criação do sistema integrado de gestão escolar, o Governo está a esforçar-se para criar condições em todas as escolas do país, de forma que cada professor e dirigente das escolas tenham acesso às novas tecnologias de comunicação e informação.

“Estamos a criar condições para que, quando o sistema estiver pronto, todas informações relacionadas com o ensino possam ser feito atempadamente estar mais acessível.

Em nome dos formados, Augusta Monteiro, reconheceu a importância desta formação no dia-a-dia dos dirigentes das escolas básicas do país. Segundo a mesma, “estes conhecimentos básicos devem ser aperfeiçoados todos os dias, visto que o saber é um caminho que se constrói passo a passo”.

Augusta Maria, reconheceu ainda que a melhor etapa não é o fim da formação, mas a que “vem agora, que é a transmissão e valorização dos conhecimentos junto aos outros colegas”.

A formação dos directores e secretários das escolas básicas e pré-escolares do país, em informática na óptica do utilizador, decorreu no centro de formação profissional Brasil São Tomé e foi financiada pelo Banco Mundial.

Bakana (H2Lopes)
publicado por Bakana às 12:24
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2015
Árbitros internacionais santomenses de regresso a casa.

Aarb.jpg equipa dos árbitros internacionais santomenses que participaram, este fim-de-semana, nos jogos internacionais, em Gabão, estão de regresso ao país.Já em casa, a equipa composta por sete árbitros faz balanço positivo da participação e acredita que a arbitragem santomese está de parabéns.

Raul Aguiar, um dos árbitros em esteve em Libreville-Gabão, afirma ter feito “um excelente trabalho”, não obstante o sol que se fazia. Segundo Raul Aguiar, não obstante São Tomé e Príncipe tem um bom campeonato, arbitrar um jogo internacional é completamente diferente da competição nacional. “Isso deve-se ao profissionalismo dos jogadores.

Fora de São Tomé e Príncipe, o futebol é profissional e isso faz com que os jogadores tenham respeito pelo futebol. Já em São Tomé, os jogadores fazem o que querem sem respeitar nada”, rebata Raul Aguiar. Apôs esta boa prestação em Gabão, os árbitros internacionais santomenses já sonham em participar nos jogos da CAN ou mesmo no Mundial.

O presidente dos árbitros santomeses, Gilberto Neves, aproveitou para felicitar a equipa que esteve em Gabão, uma vez que “quando os árbitros nacionais prestam bons serviços no exterior, as portas abrem-se para os outros”. De forma a capacitar cada vez mais os árbitros santomenses, Gilberto Neves garantiu que a sua direcção continuará a apostar na formação com qualidade internacional. A equipa de sete árbitros internacionais santomenses participaram em jogos da 12ª edição da Taça da Confederação e a 19ª edição da Liga dos Clubes Campeões Africanos que decorreram este fim-de-semana, em Gabão.

Bakana (H2Lopes)
publicado por Bakana às 12:48
link do post | comentar | favorito
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.posts recentes

. Santomenses em Cabo Verde...

. Termina a primeira fase d...

. Cabo Verde vai reforçar c...

. São Tomé celebra 480 anos...

. NOSI assina acordo para m...

. Ministra da Saúde Santome...

. Especialista português co...

. SOCOGESTA coloca o Secret...

. Alergia continua a causar...

. Surto de alergia na Escol...

.arquivos

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Abril 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

.tags

. todas as tags

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds